No passado dia  11 de Abril, no Portugal Smart Cities Summit, foi anunciado que Viseu será a primeira cidade portuguesa a ter nas ruas um meio de transporte público sem condutor. O Viriato é um veículo eléctrico que está a ser criado pela TulaLabs, uma empresa de Coimbra que afirmou ter como base uma tecnologia segura desenvolvida à 9 anos na Suíça. O veículo vai circular «numa via segregada, porque é isso que a legislação permite, onde se cruzará com outros carros apenas em cruzamentos com semáforos. Haverá peões nessa via». Jorge Saraiva acrescenta que «há sempre riscos, mas são controlados. Existe um sistema de deteção. O risco é o mesmo de um veículo com condutor». O gerente da TULAlabs salientou ainda que «o veículo carrega em cinco minutos e tem autonomia para 100 quilómetros».

 

O que se escreveu na imprensa não explica o que está na base da tecnologia usada, porém através do site da empresa é apresentado uma solução de mobilidade autónoma para zonas urbanas em que o coração se baseia num cabo eléctrico aplicado no pavimento da via, o qual gera um campo magnético que vai guiar o percurso do veículo, funcionando assim como um trilho virtual seguro em quaisquer condições climatéricas. A tracção do Viriato, assim se vai chamar o veículo a circular em Viseu e que vai substituir o actual funicular, é assegurada por um motor eléctrico Siemens de 60kW e com uma autonomia para 60km. Com uma capacidade para 25 pessoas, o Viriato vai poder operar 24 horas por dia sendo as suas baterias carregadas durante as paragens através de um sistema de indução de carga.

AGV é a designação para veículos autónomos e pensados também para utilização industrial, especialmente para abastecimento de matéria prima nas linhas de produção. A Efacec, em Portugal, já no final do século passado tinha uma das suas fábricas equipadas AGV's, no caso seguindo trilhos coloridos pintados no pavimento.